Newsletter do Ducs #06: Encontro virtual Ducs, TV na Holanda, benefícios de um journal (e mais)

E aí? Tudo bem contigo?

Pronto para mais uma newsletter do Ducs? Se estiver, vamos em frente, se não, sem pressa: ela fica no seu email (e no blog), para quando você estiver pronto. As três últimas edições estão aqui:

Quer receber no seu email a próxima?

👇Se junte ao movimento e faça parte da lista👇

Bora pra conversa:

Post novo: quais os benefícios e como faço meu journal

Uma das primeiras mudanças que fiz como parte da “reconstrução do Daniduc” a partir de 2018 foi fazer um diário. Ou journal. Ou… espera qual a diferença? Importa?

O que importa mesmo são os benefícios que manter um journal/diário trouxe para a minha vida = práticos e reais. Eu fiz um post sobre isso no novo blog, contando como o diário me ajudou (e ajuda), como eu faço meu journal, e umas dicas bem simples para começar o seu.

Leia lá e escreve o que achou no seu journal 😀

Tudo pronto pro Encontro Virtual Ducs dia 28/11?

Se você não tá sabendo, vou fazer um encontro virtual no sábado 28/11 as 20h00 de Amsterdam. Não vai ser uma “live” comum, mas um encontro mesmo. Eu vou usar o Google Meet, e vamos conversar. Essa é uma das recompensas para quem escolheu apoiar o meu trabalho esse mês de novembro e estou empolgado para bater um papo e poder trocar uma ideia cara a cara com você (bem, cara a cara versão 2020, né?)

Se você quer participar, além de estar na reunião você ganha uma história em PDF sobre nossa chegada na Holanda. A inscrição é €4,50.

Se você quer só a história ou outras recompensas bacanas (incluindo um postal artesanal que vou fazer do zero à mão), olha aqui.

Dica de programa em holandês

Uma das perguntas que mais recebo é “que língua seus filhos falam?”. Os meus saguis falam português e holandês (frequentemente portu-lândes). Eles brincam/brigam nessas três línguas (e a mais velha está aprendendo inglês na escola agora, ensinado a partir dos 9/10 anos de idade).

Agora, TV eles assistem em holandês 99% das vezes. Mas não vemos TV normal – é mais YouTube, Disney+ e Netflix.

(Eles arregalam os olhos quando eu explico que “na minha época” eu não podia escolher o que ver, era o que estava passando na hora)

(Eu lembro quando MP3 era a novidade e CD era coisa antiga. Agora nem sabem o que é MP3 – só Apple Music/Spotify….)

Voltando. Okay. Um dos programas favoritos da Sagui mais velha é o Het Klokhuis (Algo como “O cerne”, como o cerne da maçã, mas o programa também faz também um trocadilho no sentido de o “cerne da questão”).

São programas curtos que contam… de tudo. História, ciência, como o mundo funciona. Eles veem no YouTube mesmo, nos horários que podem ver TV (liberamos apenas em dias sem aula).

O programa é da rede de TV RTL, que temos no nosso pacote de TV a cabo, mas como disse, para saguis isso nem faz sentido.

É bem educativo (as informações são acessíveis mas precisas) e divertido, e bom para o seu sagui praticar o holandês (e aprender mais sobre o mundo).

Mais uma dica de programa em holandês

Outro programa legal para saguis – e quem está aprendendo holandês é o Jeugdournaal (Jornal da Juventude).. O nome diz tudo: é um telejornal para as crianças se atualizarem do que está rolando no mundo e na Holanda. De novo, a linguagem é simples mas precisa, e me foi recomendado mesmo antes de ter filhos, quando mudei para cá e estava estudando holandês.

E se você só tem uma curiosidade sobre as redes de TV da Holanda, a Daniela Stefano (jornalista que era colunista do Ducs Amsterdam) escreveu um post bem legal com um resumão sobre as TVs públicas da Holanda – pode ir lá.

Perguntas e Respostas do Ducs – me mande uma!

Eu parei de fazer Stories no Insta (expliquei aqui), e isso antes do IG colocar aquela sacolinha de compras no lugar do coraçãozinho, onde ele nos treinou naquela sensação viciante por anos a clicar para ver novos likes e comments… enfim. Mas seguinte: uma das sessões que fazia mais sucesso nos Stories era o Perguntas e Respostas.

E eu pensei agora: e por que mesmo a gente precisa do Insta pra fazer isso? Vamos fazer aqui e no blog mesmo.

Me manda uma pergunta e eu vou toda semana escolher algumas para responder (e a vantagem de fazer via newsletter/blog é que não preciso repetir as respostas – elas não somem em 24 horas).

Quer dizer – toda semana se tiver perguntas para isso. Como tudo nesse novo formato, eu estou experimentando e depende de você e do seu retorno…. agora não temos o algoritmo para determinar o que vai pegar ou não. Agora é consoco mesmo. Dá mais trabalho, mas mais liberdade sempre dá.

Manda sua pergunta (ou não) respondendo esse email.

Dicas de livros

The Better Angels of Our Nature, (Os anjos bons da nossa natureza) de Steven Pinker

Esse é um livro complicado de ler… primeiro porque é gigantesco, e cheio de dados e informações. Segundo porque muitos desses dados e informações são sobre violência e pode ser bem desagradável olhar para nosso lado tenebroso como espécie. Yeah.

Mas vale. Vale o sacrifício, e a leitura cuidadosa. Um dos livros importantes que li (e demorei para terminar). É um bom jeito de entender as raízes do nosso lado violento, entender que não é o único lado da nossa espécie, que é possível dominar e melhorar, e como fazer isso. E mostra que, na visão de longo prazo, estamos fazendo. Yeah, sim, MESMO com as terríveis notícias e desenvolvimentos dos últimos anos (boa, 2020).

E isso foi um dos grandes benefícios que tirei do livro também: aprender a ter uma visão de longo prazo, de ver que não, a história não se repete em ciclos iguais e há mudança real – mas que ela não vem de graça nem muito menos é inevitavelmente boa. Ah não. Precisamos lutar por essa mudança, colocando o nosso tijolinho num muro enorme, que não começamos e não veremos terminar, mas que está sendo construído ao longo da história mesmo assim, mesmo com gente o tempo todo derrubando tijolos em vez de colocar.

Ou seja: o seu tijolinho, por pequeno que seja, por mais perdido no tempo que seja, conta. Faz diferença, mesmo que não iremos viver para testemunhar essa diferença. E o livro demonstra isso, com dados, fatos, gráficos e uma visão de longo prazo.

E isso valeu o livro para mim. Eu não acho que muita gente vai seguir essa recomendação até o fim, mas eu mantenho. É um dos meus tijolinhos, te inspirar a colocar o seu.

Na Amazon, em português

Hitler: Downfall: 1939-1945 (Hitler: A Queda, 1939 – 1945) de Volker Ullrich

E por falar em natureza tenebrosa… Argh. Outro livro difícil de ler… a biografia de um monstro. Eu li o Volume 1 (chamado “
Hitler: Ascent, 1889-1939) em 2016, com o populismo autoritário em ascenção, porque eu queria entender exatamente como Hitler tinha tomado o poder na Alemanha. Não superficialmente, mas o mecanismo mesmo, as técnicas usadas.

Foi bem difícil de ler, mas muito útil: o livro é sério, escrito pelo historiador alemão Volker Ullrich, completo e extenso. Entendi os mecanismos e a história (e reconheci o manual que ele seguiu e tristemente tanta gente acha tão útil hoje em dia…)

Agora em 2020 comecei a ler o volume 2, porque, da mesma maneira detalhada, eu quero saber como ele PERDEU o poder. Antecipo (estou ainda nos primeiros 2/3) mais uma leitura difícil – as atrocidades nazistas só escalam nesse período – mas a vida não é só feita de leituras fáceis. E é preciso entender e aprender.

E agora que quero ver esse maníaco perder.

Na Amazon em inglês (não achei tradução em português).

Frase da semana

“”Process saves us from the poverty of our intentions”” (O processo nos salva da pobreza das nossas intenções)

Elizabeth King

365 dias de meditação

Domingo agora eu completei 365 dias de meditação seguidos. E posso dizer que noto benefícios reais. Eu contei alguns no post da semana passada.

Até semana que vem

Hey você chegou até aqui! Fantástico! Muito obrigado. É uma honra merecer sua companhia.

Keep going 🤘

Um grande abraço e espero que tenha uma excelente semana!

Daniel Ducs / Daniduc

👇Se junte ao movimento e faça parte da lista👇