Newsletter do Ducs #09: A estrada te torna mais forte. Feliz Natal e bom 21

E aí? Tudo bem contigo?

Okay, primeiro… WOW! Obrigado pela enxurrada de apoio que veio depois da última newsletter. Eu vou fazer um update de como estamos depois de daquele desastre de semana…

Anyways. Antes de começar, os tradicionais links para as três últimas edições (mas não para a edição extraordinária da semana passada… você vai entender o que houve num minuto):

E se você quiser receber a próxima edição no seu email, coloca seu email aqui embaixo:

👇Se junte ao movimento e faça parte da lista👇

Pronto. Agora que quem queria sair saiu, vamos às atualizações e dicas da semana…

Sobre nosso COVID (e nosso amigo hospitalizado)

Na edição extra da semana passada eu contei comp em uma semana fomos atingidos por uma sucessão de problemas súbitos: quarta feira estava tudo bem, quinta feira um grande amigo meu estava numa ambulância lutando pela vida, domingo Carla diagnosticada com COVID, segunda minha vez de apresentar sintomas, e ter um teste positivo.

Muita gente mandou força e apoio – muito obrigado! – e demonstraram preocupação conoso.

Primeiro, sobre nosso amigo: ele sobreviveu, passando um dia na UTI depois de uma cirurgia de emergência. Em uma semana ele teve alta do hospital, e prossegue sua recuperação em um centro de reabilitação aqui em Amsterdam. Ele está bem assistido, e fazendo progressos incríveis.

Right. Agora sobre eu e Carla termos tido o teste positivo de COVID.

Carla e as crianças tiveram no começo do ano – abril – uma infecção com diagnóstico clínico (incluindo a característica perda de olfato), mas não havia testes disponíveis na época (apenas para casos de internação). Carla acabou tendo uma infecção longa, de quase dois meses, da qual eventualmente se recuperou.

Eu acrediatava que poderia ter tido também, mas meus sintomas foram muito fracos, apenas um mal estar por uns quatro dias. Não chegou nem a ser um resfriado., mas mais nada). Então, pode ser que na verdade essa seja a primeira vez (ao contrário da Carla e saguis, que foi bem claro).

De toda forma, agora estamos com teste, eu tive sintomas bem claros, e estou até agora sem olfato (agora tudo tem gosto de comida de hospital….)

Os saguis parecem ter retido a imunidade de abril: zero sintomas. Mas estão de quarentena até ano que vem, segundo orientações personalizadas do GGD (secretaria de saúde pública).

Anyways. Tirando a perda do olfato, estou sem sintomas. Segundo o GGD me orientou (ele ligam para todos os testes positivos para orientar as pessoas), eu poderia sair para fazer a minha hora de exercício ao ar livre e ir ao supermercado (de máscara, como todo mundo).

Enfim, isso foi o que aconteceu e esse é o status. Esse ano não ia acabar não?

Dica de um app de meditação (em inglês)

Eu sei que o fato de ser em inglês é um problema para muita gente (e eu dei dica de app em português no meu post sobre meditação), mas se você entende a língua eu recoemndo o Waking Up de Sam Harris.

Enquanto que apps como Headspace são mais de bem-estar no geral (por exemplo. o Headspace tem área para exercícios físicos, música para focar no trabalho ou relaxar, podcasts para ajudar pegar no sono, imagens de natureza etc0, o Waking App é de meditação mesmo – teoria e prática. Ele vai mais a fundo na meditação, e tem insights muito interessantes, e traz várias técnicas de meditação. Ele não tem features gamificantes, como contador de dias seguidos que você está meditando, mas tem outros bem úteis, como por exemplo: após completar cada lição do curso básico, você recebe um email com um resumo da lição e o tema da próxima.

Além disso, você ganha acesso também ao podcast do Sam Harris, o Making Sense, que normalmente é pago a parte. Digo a parte porque o Waking Up é pago também – embora se você por qualquer motico nào puder/quiser pagar, basta pedir que eles te dão um ano de graça.

E todo assinante ganha também um link para dar um mês de graça para quem quiser. Eu vou postar o meu link aqui (lembrando: eu não ganho nada se você seguir esse link – não é afiliado. Não ganho comissão, pontos, moral, nada, zip, niente. Você ganha um mês de graça e eu ganho a satisafação de ter ajudado alguém).

Um mês de graça do app de meditação Waking Up, de Sam Harris

(aliás: todos os links que postei até agora nessa newsletter não são afiliados – eu ganhei zero comissão por qualquer deles. A única fonte de renda dessa newsletter nesse momento é o apoio direto dos leitores – se você quiser apoiar também: clique aqui).

Dica de série e livro

Good Omens (Belas maldições), de Neil Gaiman e Terry Pratchett

Eu li esse livro há mais de dez anos atrás – talvez uns quinze, e lembro de ter me divertido muito. O tema é sério – o fim do mundo e religião – mas é uma comédia. Ou sátira. Um pouco dark, um pouco leve, totalmente esperto e aguçado.

Um anjo e um demônio supervisionam a terra desde o ínicio dos tempos (que foi em 4004 AC, no Jardim do Éden), desenvolvendo uma amizade ao longo dos milênios. Agora, é chegada a hora do Armaggedon, a batalha do fim do mundo entre Céu e Inferno. Só tem um problema: os dois lados perderam o anti-Cristo…

Ah, não faça essa cara – é engraçado, se você ler. Bom, eu achei… e não fui só eu. Além do livro ter virado um best seller, virou também uma série da Amazon Prime. Eu estou aproveitando essa semana de castigo e assitindo. Ainda não vi todos os episódios (são 6, com cerca de uma hora cada um), mas os que vi gostei e me dvertiram.

Hey, achei que tinha a ver com 2020: a situação é seria, vamos ao menos tirar sarro dela. Eu sou a favor do humor espartano: As flechas do inimigo cobrem o sol? Ótimo. Lutamos na sombra.

Escolha o livro, ou a série, ou os dois.

Na Amazon em Português (livro)

Onde comprar selos na Holanda

Na newsletter 8 eu falei dos postais artesanais. Eu parei por motivos óbvios de fazer durante o período que tive COVID, mas estou retomando agora que já estou imune (e sim, eu passo álcool gel antes de encostar nos postais. Fica traquilo, não vou passar para ninguém. Que tempos, que eu tenho que fazer esse tipo de ressalva…) e agora estou selando. E aproveito para dar uma dica que sempre me pedem: onde comprar selos na Holanda.

Em tempos normais você comprar selos pessoalmente em balcão de atendimento de supermercados, em livrarias/revistarias, mas eu sempre preferi comprar online mesmo. Vai no site dos correios holandeses, e escolhe quais você quer. O site é esse..

Tem dois tipos de selos: nacinais e internacionais. É auto explicativo: cartas para dentro da Holanda requerem um selo nacional a cada 20g, cartas para fora da Holanda requerem um selo internacional a cada 20g.

Existem diversos modelos para você escolher, e você pode comprar em quantidade – a entrega é, obviamente, grátis. Digo, se tem uma instituição no mundo que pode dar entrega grátis seria os correios, né? Se eles cobrassem postagem pra entregar selos eu desistia da humanidade…

Anyways. A entrega é grátis. Para você despachar sua carta, você tem que achar uma agência dos correios, que ficam disfarçadas em muitos lugares, incluindo alguns supermercados e, de novo, livrarias/revistarias. Em tempos de lockdown e evitar contato humano, eu prefiro usar caixas de correios que ficam espa;hadas pela cidade. Ache uma perto de você consultando o site dos correios aqui.

Dai, vá até a caixa, e você vai ver que ela tem dois buraquinhos. Um deles especifica um intervalo de CEPs (em holandês: postcodes) e o outro diz “overige postcodes” (demais CEPs). Escolha o adequado e mande lá.

Frase da semana

“Life is what it is, and you either accept it or you don’t. Either you let the current sweep you out to sea, or you swim against the current as it sweeps you out to sea.” Aaron Thier

(Tradução: A vida é o que é, e ou você aceita ou não. Ou você deixa a corrente te levar para mar aberto, ou você nada contra a corrente enquanto ela te leva para mar aberto.”)

Feliz Natal

Como ficou bem claro em 2020, a vida ns testa constantemente. Talvez a gente tenha a imagem de que o normal é uma época de calmaria e anos duros são exceção. Mas é ao contrário, e tem sido assim desde sempre. A humanidade está enfrentando, coletiva e individualmente, desafios constantementes. Nada do que passamos é novo. E ainda estamos aqui. Prova de que temos a força e a resiliência para resistir.

Eu sei que as vezes o desafio parece enorme demais e não daremos conta, e é impossível prosseguir. Nessa hora, a gente foca no próximo pequeno passo. Não na montanha à frente, mas no próximo passo. E depois, no próximo. E daí no seguinte. E aos poucos a gente perecebe uma coisa: são esses pequenos passos que, somados, constroem a força que precisamos. São os pequenos passos, não os greandes, que nos fortalecem.

Pode ser que a vida nunca pare de nos desafiar. Porém, ao percorre-la, ficamos mais fortes. Nenhuma tempestade dura para sempre, mas todas nos preparam para a próxima.

Que seu Natal te ofereça o conforto de saber que você ficou mais forte em 2020, que você nadou contra a corrente e isso te deixou com mais fôlego e braços mais resistentes. Que possa dar risada mesmo em tempos difíceis e que as flechas do mundo ao menos te permita lutar na sombra.

E que você saiba que não está lutando sozinho. Eu estou aqui. Obrigado por estar aí. Seguimos. Bom Natal e bom 2021.

Abraço

Daniel – daniduc.net

👇Se junte ao movimento e faça parte da lista👇